domingo, julho 16, 2006

Sem palavras


Escreva-se
Faça-se em palavras
Ponha os pingos nos is
Acentue-se de forma grave e aguda
Passe por entre linhas
Hifenize-se se preciso for
Coloque-se entre aspas
Se abra entre parenteses

Se o espaço te oprime

Pule pra outra linha

Use os dois pontos a que tem direito
Comece um novo parágrafo
Diante do absoluto exclame
Diante do desconhecido interrogue

Não construa uma verdade com meias palavras
Isso serve somente para um bom entendedor
A cada vírgula respire fundo
Vá direto ao ponto
Seja afinal o ponto de partida

E se mesmo assim
Depois de tantas letras
Nada lhe fizer sentido
O ponto final se encarregará de fazê-lo
Mesmo que para isso
Lance mão da imagem do não sê-lo
Livre como um livro

Um comentário:

ELAINEMALMAL disse...

escreves das palavras, andei tb nessa sintonia..mas bom ver por teus olhos..sempre..

bijo daqui