segunda-feira, janeiro 16, 2006

Renegado


Às vezes sonho que estou livre
sou a bomba que solta,
recusa atingir o alvo

Acordo e no silêncio de alvas pombas
vejo-me em meio ao bombardeio
As horas disparam

O tiro acerta o tempo e eu,
a tempos que me busco,
sou encontrado pela minha bala perdida

Chove lágrimas de verão
Sem capa deixo-me molhar de culpas
O sol já vai sair
Atiro-me à única munição

2 comentários:

Lu Cavichioli disse...

Oi Soriano, vc tem blog e nem avisa, é?? Gostei do que vi, do que li , e ´principalmente, do layout.
Parabéns! Beijão.

Estou esperando sua visita em meus blogs:
http://letrasdiversas.blogger.com.br
http://serenatasemares.blogspot.com

asas claras disse...

Oi Leandro
"a tempos que me busco,
sou encontrado pela minha bala perdida"
essa bala perdida te encontrou e foi certeira. Parabéns!
beijos
ROse Carrara